Floresta estadual do palmito

© José Maria

Contribui para a preservação principalmente do Palmito-juçara (Euterpe edulis), que é a palmeira característica da UC e foi a mais abundante no interior da floresta.

_______________________________________________________________________________________________

DADOS BÁSICOS E DE GESTÃO

Código UNEP-WCMC

351979

 Código CNUC

0000.41.0521

Área (ha)

530

Ato de Criação

Dec. 4.493 de 17.06.1998

Órgão Gestor

Instituto Ambiental do Paraná

Com infra-estrutura para visitação

Sim

Dotada de Plano de Manejo

Não

Conselho Gestor

Não

Contato

fepalmito@iap.pr.gov.br | (41) 3424-5016

Município(s)

Paranaguá

Bioma Predominante

Mata Atlântica e Marinho

Região Fitoecológica

Floresta Ombrófila Densa (Terras Baixas)

 Localização

_______________________________________________________________________________________________

CONSERVAÇÃO

 Quantidade de spp. da fauna ameaçadas1:

17

Algumas das spp. da fauna ameaçada de extinçãoe seu estado de conservação3

Jacutinga (Pipile jacutinga)

© conservacaobrasil.wordpress.com

_______________________________________________________________________________________________

Algumas das spp. da flora ameaçada de extinção

palmito-doce

© conservacaobrasil.wordpress.com

_______________________________________________________________________________________________

Endemismo

_______________________________________________________________________________________________

Notas:

1 Conforme Mikich & Bérnils (2004), o número de spp. leva em conta além das ameaçadas (CR, EN, VU), também as quase ameaçadas (NT) e com deficiência de dados (DD).

2 Conforme Mikich & Bérnils (2004).

3 Algumas espécies aparecem com seu status de conservação. Tal status é definido mundialmente pela IUCN, no Brasil pelo MMA e no Paraná pelo IAP. As abreviações: EX – Extinto / EW – Extinto na natureza / CR – Em perigo crítico / EN – Em perigo / VU – Vulnerável / NT – Quase ameaçada / LC – Pouco preocupante. Os anos apresentam a data da avaliação da conservação da espécie.

_______________________________________________________________________________________________

Citação:

GÓES C G; LORENZO M P (2012). Floresta Estadual do Palmito. In: Unidades de Conservação do Paraná. Disponível em: <https://conservacaobrasil.wordpress.com&gt;. Acesso em: (dia/mês/ano).

_______________________________________________________________________________________________

Referências Bibliográficas:

 MMA 2008. Ministério do Meio Ambiente. Instrução Normativa nº6, de 26 de Setembro de 2008. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/179/_arquivos/179_05122008033615.pdf&gt;. Acesso em: 29 jun. 2011.

MMA 2003. Ministério do Meio Ambiente. Instrução Normativa nº3, de 26 de Maio de 2003. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/ascom_boletins/_arquivos/83_19092008034949.pdf&gt;. Acesso em: 29 jun. 2011.

IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.4. <www.iucnredlist.org>. Downloaded on 15 May 2011.

Schwarzbach, Lincoln.Conhecendo nossas Unidades de Conservação: floresta estadual do palmito. Disponível em: http://www.ecossistema.bio.br/econoticias/28/newsletter28-03.htm. Acesso em: 04 jul. 2011.

IAP. Unidades de Conservação Abertas à Visitação. 2011. Disponível em: http://www.uc.pr.gov.br/arquivos/File/…Ucs/Abertas_a_visitacao_17_02_11.pdf. Acesso em: 01 ago. 2011.

Mikich, S.B. & R.S. Bérnils. Livro vermelho da fauna ameaçada no estado do Paraná. Instituto Ambiental do Paraná, Curitiba, Brasil.

MMA/CNUC 2011. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Ano Internacional da Biodiversidade. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação. Relatório. Disponível em:<http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeFormularioPortal&gt;. Acesso em: 10 jul. 2011.

Anúncios

Sobre Gustavo Góes

Amante da natureza, Gustavo é Analista Ambiental e atua com pesquisa e conservação da biodiversidade e educação ambiental. É diretor da ONG Meio Ambiente Equilibrado (ONG MAE), conselheiro do Meio Ambiente de Londrina-PR e atualmente desenvolve estudos sobre ecologia alimentar e espacial da anta em região fragmentada da Mata Atlântica, vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Londrina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s