© Prefeitura Municipal de Jaguariaíva

   

A APA da Escarpa Devoniana se destaca por estar num ambiente heterogêneo onde há transição do Primeiro para o Segundo Planalto no Estado. Haja vista a existência desse ecossistema peculiar, que alterna capões de florestas de araucária, matas de galerias, afloramentos rochosos, rios encaixados em paredões de granitos, formando cânions e diversas cachoeiras, além dos vestígios pré-históricos, incluindo sítios arqueológicos catalogados e preservados. A presente unidade de conservação está categorizada como de uso sustentável, já que visa compatibilizar o uso de parte dos recursos naturais à conservação da biodiversidade. A APA portanto serve como amortecimento às UCs de proteção integral que existem em suas delimitações, à medida que através de seu zoneamento restringe certas atividades e usos do solo.

_______________________________________________________________________________________________

DADOS BÁSICOS E DE GESTÃO

Código UNEP-WCMC:

351879            

Código CNUC:

0000.41.0498

Área (ha):

0000.41.0498

Ato de Criação:

Dec. 1.231 de 27.03.1992

Órgão Gestor:

Instituto Ambiental do Paraná – IAP

Com infra-estrutura para visitação:

sem dados

Dotada de Plano de Manejo:

Sim (disponível em site)

Conselho Gestor:

Não

Contato:

luizaugustod@iap.pr.gov.br | (42) 32281538

Município(s):

Jaguariaíva, Lapa, Porto Amazonas, Ponta Grossa, Castro, Tibagi, Sengés, Piraí do Sul, Palmeira e Balsa Nova

Bioma Predominante:

Mata Atlântica

Região Fitoecológica:

Campos Gerais

 Localização:

____________________________________________________________________________________

CONSERVAÇÃO

 Quantidade de spp. da fauna ameaçadas1:

2

Espécies da fauna endêmicas, ameaçadas de extinçãoe seu estado de conservação3

____________________________________________________________________________________

Algumas das spp. da flora ameaçada de extinção:

© conservacaobrasil.wordpress.com

Pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia) Mundial (2006): CR – MMA (2008);

Imbuia (Ocotea porosa) Mundial (1998): VU – MMA (2008);

Xaxim-bugio (Dicksonia sellowiana– MMA (2008);

Canela-sassafrás (Ocotea odorifera) Mundial (1998): VU – MMA (2008);

_______________________________________________________________________________________________

Notas:

Conforme Mikich & Bérnils (2004), o número de spp. leva em conta além das ameaçadas (CR, EN, VU), também as quase ameaçadas (NT) e com deficiência de dados (DD).

2 Conforme Nascimento & Campos (2011).

3 Algumas espécies aparecem com seu status de conservação. Tal status é definido mundialmente pela IUCN, no Brasil pelo MMA e no Paraná pelo IAP. As abreviações: EX – Extinto / EW – Extinto na natureza / CR – Em perigo crítico / EN – Em perigo / VU – Vulnerável / NT – Quase ameaçada / LC – Pouco preocupante / DD – Deficiente em dados. Os anos apresentam a data da avaliação da conservação da espécie.

_______________________________________________________________________________________________

Citação:

GÓES C G; LORENZO M P (2012). APA da Escarpa Devoniana. In: Unidades de Conservação do Paraná. Disponível em: <https://conservacaobrasil.wordpress.com&gt;. Acesso em: (dia/mês/ano).

_______________________________________________________________________________________________

Referências Bibliográficas:

IAP 2004. Plano Manejo APA Escarpa Devoniana. Disponível em: <http://www.uc.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=35>. Acesso em: 15 mai 2011;

Forzza, R.C.; Leitman, P.M.; Costa, A.F.; Carvalho Jr., A.A.; Peixoto, A.L.; Walter, B.M.T.; Bicudo, C.; Zappi, D.; Costa, D.P.; Lleras, E.; Martinelli, G.; Lima, H.C.; Prado, J.; Stehmann, J.R.; Baumgratz, J.F.A.; Pirani, J.R.; Sylvestre, L.; Maia, L.C.; Lohmann, L.G.; Queiroz, L.P.; Silveira, M.; Coelho, M.N.; Mamede, M.C.; Bastos, M.N.C.; Morim, M.P.; Barbosa, M.R.; Menezes, M.; Hopkins, M.; Secco, R.; Cavalcanti, T.B.; Souza, V.C. 2010. Introdução. in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Observatório de UCs. APA da Escarpa Devoniana. Disponível em: <http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/578/>. Acesso em: 05 out 2012.

Anúncios

Sobre Mariana Lorenzo

Faz mestrado na Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina/PR, na área de primatologia, cujo projeto consiste no estudo de comportamento e ecologia de macacos-prego. Especialista em Biologia Vegetal, Ecologia e Manejo de Espécies Silvestres; Graduada em Gestão Ambiental e Ciências Biológicas. Nome completo: Mariana Pauletti Lorenzo

Uma resposta »

  1. Por favor não deixem que politicos oportunistas, destruam a natureza para aumentar produção. Isso é interesse próprio. Vamos lutar e dar um basta. A área preservada até agora da escarpa devoniana, deverá continuar como está. Não permitam que isso aconteça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s